domingo, abril 18, 2010

... eu... estou...

Cansada,
Exausta!

Não há músculo, tendão
Neste meu pequeno corpo
Que não doa…
As mãos, essas, estão
Ásperas, inchadas
De tanto carregar,
Lavar, esfregar…

E num último esforço
Tento apanhar e colar,
Com minúcia,
Todos os pedaços
Da minha vida…
Para que não se vejam
As marcas e cicatrizes
Que de tão profundas,
Jamais poderão ser saradas.

Cansada e exausta,
Mas de alma lavada.

O cansaço também
Lava a alma…

Sem comentários: