domingo, abril 18, 2010

... eu... venho...

Chegas sempre assim…
Como se nada fosse,
Como se nada quisesses…

Insinuaste…
Faço de conta que não percebo,
Que não conheço as tuas intenções…

De repente,
Agarras-me com força
Contra o teu peito,
Puxas-me o cabelo,
Mordes-me o pescoço,
Beijas-me a boca…
E brincas…
E demoraste…

Eu… tonta…
Deixo-me levar,
Deixo-me seduzir
Pelos olhos cor de mar,
Pelo teu sorriso rasgado…
E rendo-me…
Rendo-me aos teus
Encantos de bom amante…
Deixo que me tornes tua…

Por momentos esqueço tudo.
Todas as tristezas,
Todas as desilusões…

Concentro-me apenas em ti,
No calor do teu corpo,
No prazer que me dá…
Para depois,
Cansada e exausta,
Em ti me aninhar e sonhar…
Até de manhã…

Sem comentários: