domingo, abril 18, 2010

Solidão


Seus braços são longos,
Suas mãos são fortes…
Suas garras penetram
Minha alma indefesa…

Em vão luto
Para me soltar
Choro, grito
Mas ninguém me ouve!
Ninguém vem em meu auxílio!

De corpo fraco,
Cansado, farto
Deixo-me ir,
Deixo-me levar…

Sem comentários: