terça-feira, maio 04, 2010

... two can play that game...

... esta foi a última noite que por ti passei em claro. Estas foram as últimas lágrimas que por ti chorei... Tentei. Tentei todos estes anos me aproximar e tu só me rejeitaste, me humilhaste, me trataste mal, sem razão aparente. Para ti nunca fui suficientemente boa, suficientemente forte, suficientemente homem... Desisto! Hoje, aqui, agora, neste preciso momento desisto! Desisto de ti! A partir de agora serei aquilo que tu sempre me chamaste: a cabra, a fria, a insensível, a seca. Vestirei o papel de má, de vilã, que me deste e deixar-te-ei ficar com o de mártir. Assim o queres, assim designaste que seria desde o primeiro momento. Pois muito bem, aqui me tens como queres. Só não te esqueças que te conheço bem, até demais e que conheço todos os truques e armadilhas do teu jogo. Do jogo que até agora me tinha recusado a jogar por achar ridículo, sem nexo, sem razão de ser e preferi me afastar, mas agora chega! Não mais me farás sofrer e lutarei com todas as minhas forças e posso até pedir, implorar tréguas e clemência aos meus inimigos para que se tornem meus aliados, mas a ti não. Tu não farás mais parte de mim!

Sem comentários: