quarta-feira, junho 09, 2010

... e de repente...

... dei por mim de nariz no ar tal e qual um perdigueiro a farejar. Mas que cheiro era aquele? De onde vinha? Sentei-me, fechei os olhos... era cada vez mais intenso, indescritível... perturbador. Entrava em mim, sem pedir licença, despertando cada pedaço do meu adormecido corpo, recordando-me de sensações há muito esquecidas... percebi... assustei-me e fiquei quieta. Muito quieta...

Sem comentários: