sábado, julho 31, 2010

... finally...

... férias!!!... as tão esperadas e merecidas férias!!!... planos?! Zero!!! Ficarei por aqui a tentar pôr a cabeça e o coração em ordem. Os últimos anos, seis para ser mais precisa, foram muitos duros. Duas cirurgias de complicada recuperação (still working on that!!!), o tentar manter um "casamento", duas depressões, o fim do tal "casamento"... o recomeçar do nada, sozinha, com escassos recursos... não tem sido fácil para este frágil corpo... e mente... é tempo de descansar, desfrutar... espero que este descanso me traga alguma inspiração! Preciso organizar o meu canto. Contínuo "acampada" e sem vontade e/ou ideias para o tornar Meu. Acho que ainda não é bem aqui que pertenço. Nem aqui, nem a lado nenhum. Sempre me senti perdida, sem lugar, sem qualquer tipo de relação afectiva... só do meu refúgio tenho saudades... estranho!!!... enfim...declaro-me oficialmente de férias! Let the dolce fare niente begin!!!...

terça-feira, julho 27, 2010

... ♥♥♥...

... e assim me arrepio num dia incrivelmente quente (♥)!!!...

O instinto é forte, o desejo inexistente

Sento-me.
Com carinho e cuidado
O ventre afago
E tento imaginar-te…
Não consigo!
Não te desejo!
Não está(s) em mim!
Talvez um dia
Ele venha
E te pouse…
E não te preocupes!
Se um dia vieres
Amar-te-ei e tu sim,
Tu serás o meu Príncipe!

Labirinto

Impulsiva e exagerada
Por natureza,
Explodo em cada
Palavra, cada acção
(sem compreender o
Porquê de tanta reserva).
Terás de ser tu
A mostrar o caminho, a saída
Deste labirinto tortuoso
De sentimentos confusos
Que num dia te amam
E no outro te odeiam
(hoje amo-te!).

(Des)Sintonia

Ele gosta dela.
Ela não gosta dele.
Ela gosta dele.
Ele não gosta dela.
Talvez um dia
Se sintonizem…
Ele com ela,
Ou ela com ele.

sexta-feira, julho 23, 2010

O lado B é mais fácil

Não me reconheço!
Olho-me no espelho
E vejo uma imagem
Que nem sequer
Consigo descrever
De tão estranha que é!
De repente tenho
Todos estes sentimentos,
Tantos e tão intensos,
Que se por um lado
Me aperta(s)m e sufoca(s)m,
Por outro acalma(s)m-me
E seduze(s)m-me…
Seduz-me pensar
Que te posso amar.
Sufoca-me, transtorna-me,
Mata-me (!) que tu não… E não!
E fico triste… E depois já não
Porque sei que estás aí.
Não me reconheço!
Não consigo ligar o bitch mode
E apagar-te. Seria mais fácil…
Não melhor. Apenas mais fácil.
Menos doloroso…
As saudades, a falta que fazes…
Dói! Tudo dói! Os ciúmes!
Nunca os tive! Não gosto!
Não me reconheço! E não gosto!
De repente tudo foge do meu controlo
Do meu mundo milimetricamente
Organizado, estudado,
Porque assim tem de ser…
Para não me perder!
E (contigo) perco-me…
E não me reconheço, assim:
Sonhadora, alegre, feliz,
Disposta a tudo!
A enfrentar Mundo!
Por mim… para ti…
Estranho-me!!!

"(...) standing on a stage (...)"

"... sabes, não sabes?..."

"... eu... por ti, faria o que quisesses!!! Leva-te para casa, tratava de ti! Lavava, passava, cozinhava! Tudo, tudo o que tu quisesses!! Faria tudo por ti! É só quereres!!!..."

... ouvi o queria... mas não de quem quero...

quinta-feira, julho 22, 2010

"(...) ur turning into something ur not (...)"

... and another...

... another...

... porque também me arrepia... muito...



... but ur full of surprises!!!... rn't u???... não gosto!!!...

... viciada na gasosa!!!...

http://www.vaiumagasosa.com/

... porque me arrepia...



"(...) u swallow me, I'm just a pill on ur tongue (..)"


... I wish I was... I wish u did... oh I wish, I wish... oh how I wish... dream... u...

... ah ah ah...

... porque há por aí criaturas cheias de piadinha que adOram irritar-me!!!... mas são umas queridas e adoráveis e lindas e maravilhosas e que eu adoro muito, muito, MUITO!!!...

... detesto vento!!!...

... sério! É algo que me incomoda profundamente!!! Deixa-me nervosa, irritada, desconcentrada... com os ouvidos a zumbir e a doer, cheia de alergia e a chorar, não me deixa ir à praia, abrir as janelas e depois de oito anos a "persegui-lo" em nome de um desporto que nem sequer é o meu (!) haja paciência!!!... vento, vento só mesmo os Alísios em Cabo Verde para manter a temperatura amena e os mosquitos à distância... que saudades do Fogo!!!...

... malmequer...



... bemmequer, malmequer, bemmequer, malmequer, bemmequer, malmequer, bemmequer, malmequer, bemmequer, malmequer, bemmequer, malmequer, bemmequer, malmequer, bemmequer, malmequer, bemmequer, malmequer, bemmequer, malmequer, bemmequer, malmequer, bemmequer... malmequer...

... someday...

terça-feira, julho 20, 2010

... oops...

... I've done it again...

... comfort zone...

... sim, tens razão! Preciso criar, de me criar! De sair da zona de conforto! To get out there!!!... hum... not easy... não sei por onde começar!!! Pensar mais em mim? No que quero? No que preciso? No que gosto? Sim, talvez, mas... mas, mas, MAS!!!...

"(...) the world turns too fast (...)"

... fragile...



"(...) people are fragile things you should know by now, be careful what you put them through (...)"

"(...) there's more here to be seen (...)"



"(...) there's a devil at your side, but an angel on her way (...)"

... e já agora...

... detesto que me ignorem!!! Prefiro que me digam: "não quero responder"!!!

... és...

... francamente estranho!!!... confesso que me falta paciência para tanto secretismo...

domingo, julho 18, 2010

... remember?...

Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kissKiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kissKiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss´Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss Kiss kiss kiss kiss kiss kiss kiss

sábado, julho 17, 2010

... my other side...

"... ur afraid of what you need..."



"(...) forget your past, this is your last chance now and we can break the rules like nothing will last (...)"

Sabes?!

Tenho pena!
Mesmo, mesmo,
Muita, muita pena
Que não nos tenhamos
Conseguido ultrapassar!
Dois teimosos intolerantes!
Nós sim! Nós os dois, juntos
Teríamos conseguido ser alguém!
Amigos! Cúmplices!
Teríamos sido um só
E vencido!
Tenho pena!
Mesmo! Muita!
Espero que estejas bem!
Espero que consigas!
Espero que venças!
Eu continuarei por aqui...
Tentando... sozinha...

... adoro...

Sem título

Que pretendes tu?!
Que tanto te abres,
Como te fechas.
Tanto corres para o colo,
Como dele foges.
Te afastas,
Me afastas,
Me escondes,
Te escondes.
Do quê, de quem?!

Off

Por entre riscos e rabiscos
Me perco, desligo, esqueço
(tudo e todos... o Mundo),
Numa tentativa desesperada
De me encontrar...
De me recriar...

quinta-feira, julho 15, 2010

quarta-feira, julho 14, 2010

... let...

... talvez passar em frente a uma obra resulte...

... porque hoje estou com um ego do tamanho do mundo that's craving to be fed!!! E nem a saia mais curta, os saltos mais altos, the perfect hair and make up resultam e os olhares e piropos, apesar de muitos, não chegam!!!... são terríveis os dias em que estou assim... triste, desiludida, desmotivada...

domingo, julho 11, 2010

... talvez seja melhor...

... ficar por aqui... não tentar, não persistir... deixar... deixar ir, deixar passar... talvez não valha a pena...

... is it?!...

...

Sem título

O que nos une:
Sons,
Letras,
Imagens,
Cheiros,
Sabores,
Pensamentos…
A Noite…

O que nos separa:
A Minha Paixão!

O impossível

Impotente…
De mãos e
Sentimentos atados,
Presos a uma ilusão
(ou não…),
A um sonho,
A um desejo
De ir mais além,
De ter mais
De Ser mais,
Sempre e para sempre
A almejar o Impossível…

Grey

E agora?
Diz-me…
Como (me) vês?
Como (me) sentes?
Diferente?!...
Talvez não…
Talvez fiquemos
Assim…
Eternamente coloridos…

"... if I could, I would..."

... :(...

... porque vais voar para longe... again...

sexta-feira, julho 09, 2010

Voto em branco

Hipocrisias de burocracias
De males de Estado,
De Governo,
De o raio que os partam!
Cortam nos Humanos,
Preferem as Máquinas
E os Carneiros que se lixem!
E a culpa? É do Povo?
Do Povo que não produz?
Não! É da Crise!
Da Puta da Crise!
Desse Fantasma que nos assombra!
A Eterna Desculpa!

... SERIOUSLY!!!...

... what's next??? Hum?... será que tenho de ir à bruxa, me benzer???... what???... fuck, fuck... FUCK!!!

terça-feira, julho 06, 2010

... just feeling...

... so, so lost!!!... preciso tanto de ti. Que me ouças, me guies, me ajudes... me sentes no colo e me confortes... já não sei o que pensar, fazer, sentir. Está cada vez mais complicado! Parece uma grande bola de neve... it's getting bigger and bigger... preciso de paz, de descanso... preciso de ti... TANTO!!!...

... wanna fly...



"(..) where no one can find me, where no one can see (...)"

... é estranho...

... a facilidade como conseguimos apagar alguém... como conseguimos olhar como se nunca tivesse acontecido, como se nem sequer algum dia nos tivessemos conhecido, cruzado... estranho... é como se deixassem existir... afinal nem todos deixam um pouco de si...

... waiting...

sexta-feira, julho 02, 2010

...

Longe

E do nada despertei.
Talvez tenha sido a simples
Lembrança de ti.
Um simples barulho que
Julguei serem teus passos...

Não!
Continuas longe!
Sempre estiveste!
Sempre estarás!

Apenas

Seria simples... talvez...
Fazer-te juras de Amor Eterno,
De um Sem Fim de Desejo,
De uma Sede Insaciável,
De um Para Sempre
E mais o Infinito,
Da Lua e do Universo...
Seria simples... ou talvez não...
Apenas te posso dar...
O meu corpo, o meu desejo, o meu amor,
Apenas e só...
Pelo tempo que tu quiseres...

Reflecte

Falas, fazes, reages.
Dizes que não,
Trocas as voltas,
Dá o dito pelo não dito,
O sentido pelo não sentido.
Pára! Pensa!
Olha-te ao espelho,
Revê, revê-te...
Falavas com o coração!

...

Olhas (me), mas não (me) Vês,
Gostas (me), mas não (me) Gostas,
Queres (me), mas não (me) Tomas,
Tens (me), mas não (me) Sentes.

Queira eu

Será mais fácil sentir com a razão?
Mais seguro será com certeza!
Mas não será antes um engano?
A razão a enganar o coração?
Um enganar de nós mesmos?
Um enganar do coração?
Uma tentativa vã, forçada, dolorosa até,
De os nossos sentimentos, omitir, esconder, apagar?
Sentir com o coração...
Isso sim... requer coragem!
De nos deixar levar...
Queira eu ter essa virtude
E deixar-me ir sem o eterno receio
De voltar a cair e não mais me erguer...

quinta-feira, julho 01, 2010

... miss u...

... acho que...

... ainda não te disse que... gosto muito, mas mesmo muito que aqui venhas!...

... fez-me pensar...

"(...) you were looking for the keys for years, but the door was always open! (...)"


Aravind Adiga
in "The White Tiger"

... devorei...

"(..) CARTA DA SENHORA ANA OLÍMPIA, COMERCIANTE EM ANGOLA AO ESCRITOR PORTUGUÊS EÇA DE QUEIROZ

Luanda, Agosto de 1900

(...) duas semanas mais tarde Fradique aparecia para a ceia, acompanhado pelos Arcénio de Carpo, pai e filho: o primeiro discreto, como sempre; o segundo de longo bigode envernizado, vestido espantosamente com umas calças listradas e um casaco justíssimo, que faziam parecer ainda mais magro e mais comprido. Todo ele exalava um estranho odor, doce e quente de tal forma intenso que umas da ninhas molecas fugiu adiante tapando o nariz. «Selvagem!», gritou-lhe o jovem Arcénio «é perfume francês».
Naquele tempo, à noite, Luanda inteira cheirava a jinguba (amendoim), pois era com óleo extraído das sementes desta planta que se iluminavam as ruas. Fradique dizia que as cidades, como as mulheres, se podiam distinguir pelo odor. Os portos da África ocidental francesa, dizia ele, cheiram fortemente a cebola frita em manteiga, mistura que os jovens friccionavam no corpo como se fosse um perfume; o Rio de Janeiro cheira a goiabas maduras, e Lisboa a sardinha, manjerico e deputados. Arcénio de Carpo pai lembrou que no Sul de Angola, entre os cuamatos, as mulheres untam os cabelos com esterco de vaca, e que esse cheiro representa para elas a mais delicada fragrância.
Fradique quis ouvir a minha opinião. Disse-lhe que, tal como os buschmen, eu preferia a todos os perfumes o simples aroma da chuva. Três meses depois recebi em Luanda um frasquinho de cristal, lacrado, contando água. No rótulo, Fradique tinha escrito: «Primeira chuva de Outono em Paris, 20 de Outubro de 1868». Mais tarde enviou-me de uma escalada aos Alpes as sobras de um temporal; e quando em 1871 subiu o Nilo sozinho, até ao país dos núbios, ofereceu-me como recordação algumas gotas de orvalho recolhidas numa manhã macia, em Omdurman. Esta preciosa colecção de chuva, conservada em mais de cinquenta frasquinhos de várias cores e formatos, em cristal e porcelana, inclui ainda um pouco de água benta, caída numa tarde de Abril sobre o Vaticano; a melancólica morrinha de Londres (no dia em que morreu Vitor Hugo); a salsugem de uma tempestade no mar, ao largo de salvador, depois que Fradique, que pela última vez, de despediu de mim.(...)
(...) Fradique olhou-me intensamente: «V. é a prova de que Deus existe», disse, «e de que é completamente louco». Inclinou-se para mim e beijou-me e eu beijei-o a ele. Mais tarde voltámos a ver os mapas, e depois jogámos xadrez. Perguntou-lhe o que é que ele tinha querido dizer quando falara na loucura de Deus. Fradique riu-se: «Só um Deus completamente louco seria capaz de conceber um anjo e depois de o lançar no Inferno». (...)"


José Eduardo Agualusa
in "Nação Crioula"