quarta-feira, setembro 29, 2010

... e se eu um dia...

... escrevesse uma carta de amor, talvez fosse assim:

Meu Amor,

Espero que estas palavras sejam céleres como o vento e que com a urgência de um respirar depressa te encontrem. E te beijem. Depositem em teus doces lábios mil e um saudosos beijos.
Meu Amor, quando partiste levaste um pedaço de mim e desde então nada mais faz sentido. Os dias confundem-se com as noites e não passam de meros algarismos que risco ansiosamente no calendário. As noites passo-as olhando o céu estrelado pela janela, tentando imaginar o que possas estar fazer. Espero que também estejas a pensar em mim. A nossa cama parece ainda ter o teu cheiro e teu calor e visto uma camisa tua para te sentir ainda mais perto. Abro o armário e percorro o resto tua roupa e sinto a tua pele macia. Cheiro o frasco do teu perfume. Beijo aquela tua fotografia e aperto-a junto ao peito...
Meu Amor, morro de saudades tuas e assim não sei viver. Tento compenetrar-me noutras coisas, mas tudo te traz a mim. Aquela música, aquele cheiro. O dia, a noite, o sol, a lua, a chuva, o vento, o calor, o frio. Estás sempre presente em mim, no meu corpo, no meu pensamento... fazes-me tanta falta!
Meu Amor, espero que estejas bem e não te esqueças que: te adoro, te quero, te desejo, te sonho... que és lindo, fantástico, que te quero mais do que tudo... que és o Homem da minha vida!
Meu Amor, escreve-me depressa que sinto falta das tuas palavras, do teu carinho, do teu Amor!


Um beijo grande desta tonta que te ama muito e espera ansiosamente pelo teu regresso... Amo-te!

... sim. Se eu um dia escrever uma carta de Amor, será assim...

Sem comentários: