quarta-feira, setembro 22, 2010

... para já...

... bastava-me existir... poder respirar o mesmo ar, ter um lugar, um nome, uma cara... e depois?! E depois, não sei. Logo se vê. Não é importante. Para já. E além disso, não tenho pressa. Deixei de ter pressa de viver... só de sentir...

1 comentário:

AC disse...

Sentir é viver, viver é sentir...
Às vezes os nossos gritos são impossibilidade, outras vezes são libertação.

beijo :)