quarta-feira, outubro 06, 2010

... de momento...

… tudo o que queria era fazer as malas e voar para o seu colo. Refugiar-se nos seus beijos vorazes, no calor das suas palavras, no swing do seu corpo… nele residiam todas as suas certezas. Que a semente em si depositada naquela madrugada exausta, apenas daria lugar a desejo. Que dali nada viria. Que dali não haveria um futuro. Não haveria paixão. Não haveria amor… Absurdamente ele dava-lhe segurança. No seu nada sentia-se segura. Sabia exactamente o que esperar: nada... ela sabia. Sim, tinha a certeza de que se voasse para o seu colo, ele, por breves instantes a faria sentir a mulher mais especial do mundo. Porque ele era assim. Porque lhe era inato. Porque lhe estava no sangue. Mas era exactamente o que de momento ela precisava: ser única, ser especial, ser a tal… mesmo sabendo que não era verdade. Mesmo sabendo que seria apenas mais uma… ela precisava sentir-se Mulher…

Sem comentários: