domingo, julho 03, 2011

Sem título

Quero-te sob a Lua. Cheia.
Num leito macio de fina erva.
Quero-te numa noite quente,
Em que os nossos corpos molhados,
Sejam movidos pelo nosso som,
Pela nossa vontade um do outro.
Quero ficar exausta, deitada a teu lado
A contemplar o céu que nos contemplou.
A adivinhar constelações.
A fazer planos de Vida.
A não fazer planos.
A deixar-nos levar...
Já nos encontrá-mos. É o que basta.

Sem comentários: