domingo, janeiro 29, 2012

... e o fds continuou solarengo...

... e desde já se agradece a São Pedro, por nos últimos dois meses nos ter vindo a brindar com dias assim: cheios de sol! Portanto, Sábado, foi-se à praça em busca de frutos secos e flores e na volta conhecemos o simpático Nicolai e os seus mais-que-adoráveis Greyhounds, o Booker e a Tula, que foram resgatados de um canil na Escócia. Depois de alguma conversa e muito mimo de cão lá viemos para casa resignados com o facto de não podermos ter cães e/ou gatos devido à falta de espaço e não só. Valeu-nos o caril da avó para nos consolar (não há nada que pague as encomendas da avó. Duas caixas de caril e marmelada caseira. NHAM!). À tarde, toca a levar Feliks a passear e ver os seus planos falharem - reconheceu a voz de Lydia, a sua eterna amada que já não via há mais de dezanove anos, no momento em que ia disparar sobre Orlov - ao sabor de um belo copo de tinto, numa soalheira esplanada em que, também havia crepes e não se resistiu a um de chocolate. Delicioso! Mas como os dias ainda são pequenos (snif, snif!), Feliks teve de ficar no carro enquanto se passeou no IKEA a solucionar o quebra-cabeças que é ter uma casa pequena (e de facto IKEA é A solução!!). Seguindo-se um belo Hambúrguer à Casa, enquanto se via a primeira parte do Benfas. A segunda parte viu-se em casa enquanto se arrumava as compras, que o hambúrguer era excelente, mas a tasca fria como o raio. Hoje, mais sol - happy happy me!!! - mas. Mas é Domingo e se ao Sábado ainda se consegue encontrar um sítio onde se possa estar descansadinho a ler, ao Domingo é impossível! Pelo menos ao sol. Tentou-se a Casa das Histórias que tem uma bela esplanada, mas estava cheia. Aliás o museu estava cheio e não se pode admirar O Amor no seu pleno, mas ficou-se com ele gravado na retina. Especialmente a sua veracidade. Museu cheio, bom. Museu cheio de crianças, ainda melhor. Quietas e caladas a olhar para os quadros, excelente. Crianças numa exposição de Paula Rego, estranho. E Feliks na mala aos pulos para ser lido! Praias cheias. Esplanadas cheias. Espaços interiores, nem pensar! Acabou-se na única esplanada a meio gás, a comer uma merendinha e um galão e a tentar ignorar as conversas alheias em alta voz. Deixou-se mimos nos pais. Contemplou-se de novo a praia. Agora de noite. Cozinhou-se os primeiros gnocchi do ano. Leram-se blogs, mail's, escreveu-se e no meio de isto tudo pensou-se. Pensou-se muito. Reflectiu-se mais que nunca! Confiança. E o que fazer quando se perde a confiança em alguém. Como conviver com isso, com essa pessoa. Como lidar dessa perda em diante... conclusão: nenhuma!...

Sem comentários: