domingo, fevereiro 16, 2014

... da paciência...

... hoje começaram a testar a minha paciência logo de manhã! Já ia eu em cima da hora para a aula de yoga que tanto queria na Brahmi e pela qual estou desde dia 5 à espera, quando apanho o sr. mais atado do mundo na bomba de gasolina. Mas do tipo ridiculamente aTAdo! Ainda pensei que o sr. não se estivesse a sentir bem, ou algo, mas quando percebi que o sr. estava noutra, lá tive que lhe dizer de cara feia, "meu sr. eu sei que é Domingo e tal, mas estou há imenso tempo à sua espera e estou cheia depressa!" - e eu que gosto tanto de ir ali! É pequena, sossegada, são simpáticos e ainda nos põem a gasolina. Uma raridade! Enfim, depois de muitas desculpas do dono da bomba, a dizer que o sr. é sempre assim e que lhe põe os nervos em franja, lá fui eu modo full speed, mas cheguei a aula já tinha começado. BAH! Ainda olhei um pouco, mas não quis interromper. Vou a sair e vem uma sra. a entrar com o tapete de yoga na mão e eu, na minha pura ingenuidade, ainda perguntei "vai à aula? É que já começou, mas não quis interromper. Acha que ainda é possível ir?", ao que a simpatia me respondeu "o quê? e não abrem a porta?" desata a correr, ainda fui atrás, mas como acho que ela não ouviu nem metade do que lhe disse. Meti-me no carro. Vim pela marginal devagar, agora sim, a apreciar a vista, os ciclistas, em pleno estilo domingueiro. Cheguei a casa tratei de duas ou três coisas rápidas e nisto o sol que me fez a felicidade logo pela manhã, reapareceu. Agarrei numa revista e fui para a Casa da Guia tomar vitamina D, uma bela torrada de pão alentejano e um galão bem escuro (questão: hoje em dia há imensa gente que bebe leite de soja, mas mesmo assim os cafés, pastelarias e afins, insistem em ter leite de vaca. Há algum sítio em Cascais, ou Lisboa, que sirva leite de soja?). O sol andou a brincar de esconde-esconde, mas lá se aguentou o resto do dia. O que muito agradeci. Ainda fui ao Guincho e estive o resto da tarde na varanda de volta das plantas novas que comprei no horto da Casa da Guia e das outras que já cá estavam... 
 ... perco-me nos hortos e quero trazer tudo para casa, mas só as suculentas resistem ao sol da nossa varanda...

Sem comentários: