quarta-feira, abril 30, 2014

... 365 grateful (48)...

... sair quase uma hora mais cedo do trabalho em véspera de feriado, ainda com luz, sol até, e alapar no sofá em namorico skypiano com Mi Amor, é de louvar! Ou se é!...

terça-feira, abril 29, 2014

... 365 grateful (47)...

... a descida a pique do resultado da minha análise de stress oxidativo!!! YEAH!!! :) :) :)!!!...

domingo, abril 27, 2014

... pêras...

... para aproveitar umas pêras que estavam a passar do ponto, fiz um frango no forno...
... e tão simples quanto isto: uma cama de pêras cortadas às fatias, frango aos pedaços e temperar com azeite, sumo de limão, sal, vagens/sementes de cardamomo, gengibre fresco ralado, raminhos de alecrim fresco. Servir com arroz basmati com corcuma...

... sunday night mood...

sábado, abril 26, 2014

... run...

... "(...) «A dor é inevitável, mas o sofrimento é uma opção». (...) Ganhar a este ou àquele não me diz rigorosamente nada. Interessa-me, isso sim, alcançar os objectivos a que me propus (...) um escritor possui uma motivação interior, uma força calma que não precisa de aprovação nem de ser validada através de critérios exteriores. (...) Entrar em competição com os outros (...) não é o estilo de vida que eu procuro. (...) As feridas emocionais representam um preço a pagar ao mundo para obter essa independência como ser humano. (...) Parar de fumar foi uma espécie de gesto simbólico de despedida da vida que até então estava habituado a levar. (...) O sentimento era o de que, se bem que tivesse ultrapassado os trinta anos, ainda se abriam possibilidade pela frente, tanto para mim como para o meu  corpo. (...) A coisa mais importante que aprendemos na escola é, se querem saber o que eu penso, que as coisas importantes não se podem aprender na escola. (...) é muito fino o muro que separa a confiança saudável do orgulho pouco são. (...) corro apenas movido pela minha força de vontade, e a dita linha de chegada não se encontra de facto assim tão próxima quanto isso. (...) Uma vez que nos espera uma longa vida, mais vale viver esse tempo cheio de vitalidade, com objectivos bem claros em mente e perseguindo com firmeza as nossas metas, do que atravessar os anos que nos esperam no meio do nevoeiro. (...) Aprende-se a ser feliz com o que se tem à mão de semear (...) Se ficar muito tempo sem ver água, tenho a impressão de que, pouco a pouco, no mais fundo de mim, alguma coisa se perde lentamente. (...) tenho plena consciência de mais não ser do que uma pequena peça entre todos os fenómenos naturais que dão forma ao gigantesco mosaico da natureza, como a água do rio que corre por debaixo da ponte em direcção ao mar. (...) Para se confrontar com qualquer coisa verdadeiramente insana, uma pessoa deve ser tão saudável quanto possível. (...) uma alma doente tem necessidade de um corpo em perfeita saúde. (...) Não sou um ser humano, mas apenas peça de uma engrenagem. Uma máquina não sente rigorosamente nada. Por isso, limita-te a seguir em frente... (...) Dúvidas tenho muitas: explicações, nem uma. (...) há uma inquietação que nunca me larga, sempre de volta de mim. Será que a nuvem negra desapareceu realmente? (...) na vida, as pessoas quase sempre só aprendem qualquer coisa de essencial depois de terem sentido dor física na pele. (...) talvez fosse preciso de ir à procura da razão noutro lado. (...) Taciturno, tenho por destino uma maturidade barroca - ou, se quiserem que ponha a questão em termos mais modestos, para o beco sem saída da evolução. (...) constato com grande pena minha até que ponto o pequeno recipiente que eu sou não passa de uma pessoa imperfeita e vaidosa. (...)"...

... red and rain...

... porque só...

... me apetece enroscar, parar, desligar...
... fugir...

... o tempo...

... está com uma crise aguda de bipolaridade...

sexta-feira, abril 25, 2014

... so proud...

... no workshop Life Change, foi-nos pedido para fazermos um trabalho em grupo, para criarmos um negócio. A ideia base de ser algo diferente e que pudesse ajudar, mudar, acrescentar, realizar os outros foi o mote da nossa Casa do Mar...
video
... esta Casa não existe, as imagens não são nossas e desde já deixamos aqui todos os créditos dos fantásticos trabalhos que aqui aparecem (Tree of Life, Ruga, Lisboa Ungorgettable, Belonika & the Chefs, Aldeia da Pedralva, Memmo Baleeira, The Great Ocean Road, Rota Vicentina, Yoga Surf Retrats, HR Special Day, Workshop de Cocriação, Family Picnic, Música: To Build a Home, Cinema Orchestra) e agradecemos a ajuda, mas a ideia, o conceito é todo todo nosso e estou muito orgulhosa de ter feito parte deste grupo e gostaria muito muito, mas mesmo muito que este projecto se concretizasse... p.s.: obrigada M. pela elaboração do vídeo. Ficou lINdo!...

... liberdade...

quarta-feira, abril 23, 2014

... hoje é dia mundial do livro...

... e eu ando à volta deste...
... e com vários na estante em fila de espera...

... dos mercados...

... a Bond Girl lançou um desafio para o mês de Abril e eu como adoro mercados, vou enviar as fotos do mercado do passeio marítimo de Marselha... 
... cada viagem que faço vou ao mercado local, se tiver oportunidade, para não falar de que todos os Sábados vou ao mercado de Cascais às compras para a semana, mas curiosamente, só tenho fotos de Marselha...
 ... o curioso deste típico mercado de Sábado, é que só se vendia flores, peixe e algum marisco. Para além disso havia uma curiosa lenda...
... contasse que uma rapariga da nobreza de Siracusa conseguiu a cura milagrosa da doença da sua mãe através de repetidas orações a Virgem Maria. Esta adoração e devoção fez com a rapariga tira-se os seus olhos e os lança-se ao mar para não se desviar de sua fé e afastar os pretendentes. Em resposta a esta devoção, Nossa Senhora devolveu-lhe a visão e deu-lhe os mais belos e brilhantes olhos, os olhos de Santa Lucia. Esta é uma das muitas histórias que se contam... há neste mercado senhoras que só vendem conchas e olhos de Santa Lúcia, amuleto promove a sorte e afasta o mau olhado. Cinco anos depois ainda trago o meu na carteira...

... let's rock!...

terça-feira, abril 22, 2014

... 365 gratful (46)...

... ontem fomos conhecer o(a) Guernica, finalmente! E depois de uma hora sentados no chão com quatro mini gatos e uma cadela a pedir mimos, foi este(a) pequenote(a) que mais nos deu atenção...
... fartou-se de brincar comigo e puxar-me os atacadores e adorooou os mimos que fizemos! Foi uma delícia ver aqueles olhinhos a fechar de satisfação e sentir o mini ronronar! Chato, chato, foi não o(a) temos trazido logo connosco, mas ainda é bebé e precisa dos cuidados da mãe, pelo menos durante mais um mês...
... mal podemos esperar...

... oh(!) mounsieur gustave...

... delicioso, vale cada minuto e no fim queremos mais....

... da duna da cresmina...

... há mais de dois anos que a namoramos insistentemente sem nos cansarmos! É um dos privilégios de morarmos em Cascais. Entramos no carro e em dez minutos estamos em estado zen, no melhor que levamos desta Vida: o coração preenchido pela vista que nos arrebata...
 ... entretanto foi criado um percurso de interpretação da fauna e flora da Duna da Cresmina, onde podemos percorrer alguns quilómetros, respirar ar puro e passear o cão (os canitos não são nossos, mas bem que poderiam ser! Uns Simpáticos! Ui!)...
 ... no fim da caminhada, podemos descansar e continuar a contemplar a vista do bar...
... e o cão também :)...