sábado, junho 21, 2014

... hoje fui princesa...

... há algum tempo que sigo o blog da Catarina Beato, o Dias de uma Princesa, mas desde que lançou o Dietas das Princesas que sigo com maior frequência os posts, já que tenho um especial interesse em alimentação e mais recentemente em vida saudável. Normalmente as pessoas associam uma dieta à perda de peso, pois não podiam estar mais enganadas! Eu sempre fui magra, demasiado magra na opinião dos médicos e volta e meia lá tinha de fazer dieta, porque a minha barriga não aguentava as quantidade absurdas de comida que ingeria. Sempre que ia a um novo médico, fosse de que especialidade fosse, a pergunta era sempre a mesma: a Ana come? Tem algum dsitúrbio alimentar?, ao que sempre respondi, danada da vida, Tenho sim, como demais! Sofri imenso com os comentários na escola, perninhas de alicate, magrela, eu sei lá e ainda para mais com o apelido como o meu, Vemelho, era o alvo preferido dos miúdos. Naquela altura não havia crianças com excesso de peso nas minhas turmas, ou eram "normais", ou magros. Muito diferente da realidade de hoje, mas isso é um outro post. Até que cresci e me apercebi que tinha uma sorte imensa, porque podia comer tudo o que queria e não engordava, enquanto as minhas amigas andavam sempre em dietas malucas. Aqui a questão é que como quantidades monumentais de comida e muitas vezes até ao ponto de ficar mal disposta, não, não vomito, mas há dias em que é incontrolável. É quase como se o estômago estivesse cortado relações com o cérebro e não o avisasse que já estou satisfeita e já posso parar de comer. Já me tinha queixado disto ao médico, especialmente poque depois de vir do ginásio é sistemático! Pensei que tivesse carência de alguma vitamina, ou mineral, mas não tudo ok. Ontem no workshop "Dietas das Princesas", sobre o qual pensei se deveria fazer ou não e enviei uma mensagem à Catarina a perguntar a opinião, uma vez que eu não pretendo perder peso, mas sim reaprender a comer, coisa que desaprendi totalmente neste último ano. A Catarina respondeu que o workshop é muito sobre a relação com o nosso copo e também sugestões de alimentação, ou seja não apenas sobre perder peso. Inscrevi-me e estava tudo a correr bem até que a Catarina nos pede para dizer-mos três adjectivo sobre o nosso corpo e a maneira como o vemos e sentimos e a mim só me veio à ideia a palavra: compulsivo. O meu corpo é compulsivo. Como complusivamente. E esta complusão há que ser controlada para não ficar mal disposta e com a barriga e o estômago aos gritos. Ou seja, não preciso de deixar de comer nada, a não ser as parvoeiras do costume que fazem mal a toda a gente e deveriam ser proibidas de serem comercializadas, mas só preciso de dosear as quantidades ingeridas. Resumindo e baralhando, este workshop foi o click que precisava para comer melhor de vez. E o jantar de hoje foi a minha confort food preferida, sushi, mas em doses normais para se digerir à noite e quando tive vontade de atacar o frigorífico, apesar de ainda me sentir plenamente satisfeita e não caber mais nada, um chá de tíla para acalmar as hostes e dormir bem...
... destes foram só três. São gigantes!...
... obrigada Catarina pelo à vontade e obrigada meninas pela partilha. Vamos encontrando-nos no nosso grupo facebookiano nesta nossa aventura por uma vida mais saudável. Godspead!...

Sem comentários: